Buscar
  • Luciano Cirumbolo

Em Dia de Chuva

Atualizado: Abr 30

Gotas d’água marcam caminhos pela janela. O clima não é mais o mesmo. Em dias de chuva, é melhor parar com tudo. Nuvens carregadas, ventos laterais, possessões internas. Você não quer nada, mas no íntimo, deseja tudo.


É hora de rever antigos hábitos, tocar aquela música e mexer na caixa de lembranças. O que você guardou e se esqueceu de valorizar pelo caminho?


Em dia de chuva, o momento é de reflexão. Diminua o ritmo, observe com calma, deixe o telefone tocar. Onde está você diante de tudo?


Quando a chuva começar a cair, perceba-se protegido diante da multidão. Você está com você e o medo mora longe agora. É hora de mexer na autoestima, nos ponteiros internos, nas promessas não vividas. Deixe a água enfraquecer as barreiras. Você sente o cheiro dessa chuva?


Reúna as fotos, os antigos sonhos e faça uma nova lista de apostas. Deixe tudo à altura da mão, percebendo que as buscas nunca terminam. Acaricie o cachorro, prepare levemente o jantar, lance as sementes no jardim.


Em dia de chuva, o sol de fora dorme tranquilo. É neste instante que o sol de dentro deve ser ativado e percebido como uma possibilidade. Não há calor maior que venha de fora, mas sim um brilho interno que irradia do centro do peito. Deixe a luz sair, agora!


25 visualizações

© 2020 Luciano Cirumbolo Psicologia - Todos os Direitos Reservados